Este site obedece às Normas e Diretrizes do CODAME (Comissão de Divulgação de Assuntos Médicos), de acordo com o Conselho Federal de Medicina (CFM). Os Assuntos aqui abordados têm apenas o intuito de informar a população. Sempre consulte o seu médico antes de ser submetido a qualquer tipo de tratamento

Santos & Região: (13) 32242294 / (13) 997533819

São Vicente: (13) 32080800

Boituva & Região: (15) 33631544 / (15) 997423665

Bauru & Região: (14) 32232600

Contatos:

© Todos direitos reservados Fabricio Francischone

Lifting facial ou Ritidoplastia

Lifting facial ou Ritidoplastia é o nome dado à cirurgia plástica da face que visa reposicionar os tecidos faciais, atenuando rugas e marcas de expressão, promovendo o rejuvenescimento facial.

A cirurgia plástica da face tornou-se um dos procedimentos mais populares da especialidade graças ao surgimento de novas técnicas e a grande melhora na qualidade dos resultados.

Se você estiver incomodado com sinais de envelhecimento em seu rosto, a cirurgia da face pode ser ideal para você. Tecnicamente conhecida como ritidoplastia, a cirurgia da face é um procedimento cirúrgico para melhorar sinais visíveis de envelhecimento no rosto e no pescoço tais como:

• Flacidez no terço médio da face,
• Vincos profundos abaixo das pálpebras inferiores,
• Vincos profundos ao longo do nariz que se estende ao canto da boca,
• Gordura que tenha baixado ou tenha sido deslocada,
• Perda de tônus muscular na face inferior, podendo causar papada,
• Pele frouxa e excesso de depósitos de gordura sob o queixo e a mandíbula.

Procedimentos de rejuvenescimento tipicamente executados juntamente com o lifting de face são o lifting de testa, para corrigir a flacidez ou testa franzida, e cirurgia de pálpebras, para rejuvenescer os olhos.

Cirurgia

  • O tipo de anestesia empregada fica a critério da equipe de anestesistas, na dependência da avaliação de cada caso, podendo ser realizada sob anestesia local com sedação ou sob anestesia geral. O tempo de procedimento cirúrgico varia de 3 a 4 hs.

  • As várias técnicas existentes, repletas de detalhes individuais, são geralmente executadas através de incisões que se iniciam na região das têmporas, descem ao longo das rugas naturais em frente à orelha e continuam por trás da orelha, podendo se prolongar até o couro cabeludo. Em casos de grande flacidez no pescoço, uma pequena incisão pode ser necessária logo abaixo do queixo para tratar a musculatura subjacente. A extensão das cicatrizes é bastante variável e depende do grau de flacidez presente. A tendência moderna em cirurgia plástica tem sido a redução das cicatrizes quando possível, desde que esta técnica não comprometa o resultado final. Portanto, em pacientes com sinais leves de envelhecimento, a técnica conhecida como “minilifting”, em que não há cicatrizes atrás das orelhas, pode ser indicada. Independente da técnica empregada, as cicatrizes devem ser discretas e praticamente imperceptíveis.

Recuperação Pós-Operatória

 

  • Quando o procedimento for finalizado, uma bandagem pode ser colocada delicadamente em torno de seu rosto para minimizar o inchaço e os hematomas. Um dreno pode ser temporariamente colocado sob a pele para drenar qualquer excesso de sangue e de fluido que possam acumular.

  • Pacientes submetidos à ritidoplastia devem permanecer em repouso absoluto por 7 dias, mantendo a cabeça sempre elevada. Uma sensação de cansaço é esperada neste período, especialmente devido aos medicamentos usados na anestesia. Portanto é importante descansar adequadamente e alimentar-se bem.

  • O inchaço e o aparecimento de manchas roxas chamadas equimoses são normais após esta cirurgia e tendem a se concentrar na região da mandíbula e ao redor dos olhos e orelhas. O resultado é uma leve distorção na aparência da face e uma sensação de rigidez no local. Isto ocorre graças à grande vascularização local e não significa que algo errado aconteceu durante a cirurgia. A aplicação de compressas geladas na face e nos olhos durante os primeiros 7 dias visa acelerar o processo de reabsorção da maioria do inchaço, que normalmente ocorre em 2-3 semanas. A realização de fisioterapia e o emprego de uma faixa elástica no pescoço podem acelerar ainda mais este processo. Lembramos que, na maioria dos pacientes, a reabsorção total do inchaço e acomodação final dos tecidos costuma ocorrer após 3-6 meses. Portanto, a apreciação do contorno final só é possível após este período